Meeke deu cartas na Catalunha

08 outubro 2017

Kris Meeke abriu o livro e o Citroen C3 WRC correspondeu às exigências do piloto britânico. Um triunfo que fazia falta para repor os níveis de confiança a toda a equipa. Mas Meeke não se ficou apenas pela vitória, pois foi o grande dominador dos dois últimos dias do rali catalão, depois da etapa de abertura ter sido dominada por Andreas Mikkelsen em estreia absoluta ao volante do Hyundai i20 WRC. Mas o segundo dia viria a ser catastrófico para a Hyundai que registou os mesmos problemas na direção do i20 de Mikkelsen e Sordo, atirando os pilotos para fora dos pontos pretendidos, acontecendo precisamente o mesmo a Neuville já perto do final do rali.

Mas em termos de estratégia foi a M-Sport que retirou os melhores dividendos, ao colocar Tanak e o campeão Ogier em posições de controlo da prova, esboçando apenas tentativas de chegar à liderança, mas com o objetivo claro de solidificar a liderança do WRC por parte de Ogier e dar a Tanak a hipótese de discussão do título com o seu colega da Ford nas provas que ainda faltam. Estratégia correta e conseguida, com Ogier a averbar o 2º lugar e Tanak a 3ª posição, retirando da Catalunha os dividendos necessários para que o título de 2017 fique na posse de um piloto da M-Sport.

Kris Meeke foi na verdade o herói da Catalunha. No último dia dominou por completo apesar de necessitar apenas de gerir vantagens. No entanto, o piloto da Citroen venceu 5 dos 6 últimos troços, sendo inclusivamente o 2º mais rápido na Power Stage, tendo sido batido apenas pela vingança espanhola de Dani Sordo, que levou o Hyundai ao melhor tempo na Power Stage e aos consequentes cinco pontos, com Meeke a somar ainda mais 4 pontos aos da vitória.

Um pódio onde Meeke ocupou o lugar mais alto, com Ogier a ficar na 2ª posição a 28,0 segundos e Tanak no 3º posto a 33,0 segundos. Mais longe e como o melhor Toyota Yaris em prova, Juho Hanninen averbou a 4ª posição a 54,1 segundos do vencedor, com o privado Mads Ostberg a levar o Ford Fiesta WRC ao 5º lugar mas já a 2m26,2 de Kris Meeke. Entre os WRC2 foi o Ford Fiesta R5 de Teemu Suninen o mais rápido, sendo o 8º da geral, com uma vantagem de 31,8 segundos para o Skoda Fabia R5 de Jan Kopecky, o 9º da geral. Kris Meeke alcança assim a segunda vitória do ano, num rali bem disputado, onde ele e a Citroen voltaram a ganhar níveis de confiança, mas Sébatien Ogier sai reforçado na liderança do WRC 2017.

Patrocínios
scroll up